Dia Internacional da Privacidade de Dados


O Dia Internacional da Privacidade de Dados (28 de Janeiro) foi criado com o propósito de alertar as pessoas para os dados que disponibilizam online, bem como as diferentes formas que existem de acesso aos seus dados pessoais.
Pouco se sabia em relação a este tema até há pouco tempo, embora existissem algumas suspeitas. Este tema começou a ser amplamente debatido após os casos do WikiLeaks e do Snowden que fizeram manchentes e abriram telejornais um pouco por todo o mundo alertando os cidadãos de que estavam a ser observados e espiados pelos seus próprios governos através das mais diversas formas, a maioria das quais recorrendo aos dados de redes sociais, dados inseridos em plataformas como as finanças, a segurança social ou contas bancárias. Outros dados são ainda recolhidos hackeando os computadores dos cidadãos retirando informações, imagens, localizações, entre outros dados.
Num País democrático, que muito sofreu no período fascista, a liberdade e a privacidade são valores pelos quais se deve pugnar sempre.
A Ecolojovem repudia todas as formas de espionagem que é feita com o intuito de monitorizar, alienar e controlar os seus cidadãos.
Viva o Dia Internacional da Privacidade de Dados!

Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto





O Holocausto refere-se ao período durante a II Guerra Mundial em que milhares de pessoas foram assassinadas com base nas suas crenças religiosas, políticas e ideológicas pelo regime nazi comandado por Hitler. 

Para a Humanidade este período ficou para sempre na memória colectiva como um dos maiores atentados às liberdades humanas. Durante este período judeus, ciganos, homossexuais, comunistas, entre outros foram perseguidos, torturados, presos, colocados em campos de concentração com péssimas condições de vida e obrigados a exercer trabalho forçado, sendo que muitos destes acabaram mortos por razões de saúde ou assassinados pelo regime fascista das mais diversas formas.
Assim, o dia 27 de Janeiro, foi consagrado como o dia em memória daqueles que sofreram nas mãos de um regime que deu origem à II Guerra Mundial.

É de lembrar que muitas destas vítimas são também heróis que suportaram, resistiram e lutaram contra injustiças, em defesa dos direitos dos Homens e em defesa da liberdade contra um regime opressor.

No entanto, não podemos acreditar que o nazismo ou o fascismo terminaram no dia 2 e Setembro de 1945 (data oficial do fim da II Guerra Mundial). Por todo o mundo é ainda possível observar tais injustiças e mesmo na Europa, é possível verificar os avanços da extrema-direita com discursos xenófobos, racistas que promovem a violência e a ingerência noutros povos com os mais diversos interesses.

Assim, a Ecolojovem não deixa passar este dia, não só relembrando e saudando todas as vítimas, como alertando para todos os conflitos que nos dias de hoje acontecem e lembrando todos aqueles que são vítimas de regimes fascistas e totalitários no mundo, onde os seus direitos e as suas liberdades não estão consagrados.

A Ecolojovem é uma organização que pugna pela Paz, soberania e cooperação entre os povos e como tal, condena todos os atentados a estes valores.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                             

Conversa Ecologista: Rio Trancão: Que problemas? Que soluções?

A Ecolojovem promove no próximo dia 3 de Fevereiro às 18h00 em Sacavém (sala a anunciar) uma conversa ecologista sobre o Rio Trancão, os seus problemas e as soluções.

Contamos com a vossa presença!