Intervenção de Cláudia Madeira na apresentação da Juventude CDU para as Eleições Legislativas 2015 no Quintal Bar em Lisboa


Boa tarde a todos
Bem-vindos a esta iniciativa da Juventude CDU, que reúne a JCP, a Ecolojovem e muitos, muitos jovens que se revêem neste projecto de luta, de esperança e de mudança.

E é disso mesmo que se trata: as eleições legislativas de 4 de Outubro são uma oportunidade preciosa para garantir a mudança de que o país tanto precisa e para reafirmar que a alternativa existe e que está aqui, na CDU!

E aos jovens que dizem que a política não serve para nada, que não pensam ir votar, é preciso esclarecer que votar é também uma forma de dizer basta às políticas que nos destroem a vida, e que cada voto na CDU é mais um voto nos que defendem uma alternativa a este caminho de destruição.

A CDU reconhece e valoriza o papel dos jovens na construção de um mundo melhor, e é por isso que integra nas suas listas vários candidatos jovens, para dar voz à juventude.

Nestas eleições, 11,5% dos candidatos tem menos de 31 anos, e estão representados em praticamente todos os círculos eleitorais.
É também importante valorizarmos a grande diversidade que caracteriza estes jovens que se destacam pela sua intervenção e dedicação: vêm das mais diversas áreas; 3,4% são estudantes, temos trabalhadores em fábricas, call centers, professores, artistas, dirigentes associativos…

A Juventude CDU é tão diversificada mas tão unida por um objectivo comum: levantar o país da desgraça em que tem estado mergulhado, e lutar por um Portugal com futuro.

E a pergunta que todos os jovens – e não só – devem fazer é: é ou não possível ter uma vida melhor, em vez de se tentar sobreviver num país que empurra os jovens para uma nuvem negra de desemprego, de dificuldades, de precariedade e de emigração?

A resposta da CDU a estas questões é muita clara e muito verdadeira. É possível! Nada disto tem que ser assim! Nada disto é inevitável!
A diferença está entre os que acreditam no país e nas suas gentes e os que não acreditam. E nós somos aqueles que acreditamos.

É por isso que, desde o início, temos defendido renegociar a dívida, pôr fim à austeridade, promover a justiça social e o emprego com direitos, defender os serviços públicos e defender a nossa soberania.

Voltamos a dizer: é urgente renegociar a dívida porque, da forma como está estruturada, não é sustentável. Os pesados sacrifícios que nos foram impostos não reduziram a dívida que, em vez disso, não pára de aumentar. Só com uma renegociação dos seus montantes, juros e prazos será possível ter uma folga na economia para criar investimento e emprego.
Mas aquilo a que temos assistido é ao PSD, CDS e PS, os responsáveis pela situação que vivemos, refugiarem-se em questões supérfluas que têm marcado as suas campanhas em vez
de debaterem os problemas reais das pessoas, para continuarem com as mentiras e as falsas inevitabilidades porque, no fundo, não pretendem mudar de políticas.

A realidade é que não estamos melhor, nem vamos estar enquanto não houver uma ruptura a sério com as políticas destes três partidos.
Quantos, de todos os que aqui estamos hoje, sentem na pele ou conhecem um familiar, um amigo, um colega que vive com dificuldades, que tem que adiar os seus planos, ou que teve que emigrar?

Podíamos passar aqui horas a elencar os ataques dos sucessivos governos e particularmente do actual governo PSD/CDS-PP, que conduzem a juventude à pobreza, à instabilidade e à dificuldade em realizar os seus sonhos e aspirações.

Podíamos falar do desemprego, da precariedade, dos custos do ensino, do aumento do custo de vida, do desinvestimento na cultura e no desporto, da delapidação de recursos naturais, da destruição dos transportes públicos, da destruição da vida de milhares de jovens, e tudo isto acontece porque quem governa este país tem um objectivo: o lucro dos grandes grupos económicos em vez do bem-estar das pessoas.

É inaceitável que vão milhões de euros para os bancos, quando se tira à educação, à saúde, ao desporto, e à cultura. Tira-se a tudo o que é fundamental para a juventude portuguesa.

É preciso denunciar que PSD e CDS ganharam as eleições com mentiras e continuaram a mentir ao longo de quatro anos e agora continuam as manobras para iludir os portugueses.

Também o PS não fica de fora deste jogo de mentiras e manipulações. Afinal, sempre que é preciso, são parceiros.

Portanto, é fácil ver que a mudança tão necessária não vai acontecer com a alternância entre PSD/CDS e PS.

Estes partidos podem ter, e têm, muitos meios à disposição para propagar uma campanha que mais uma vez engana as pessoas. Nós podemos não ter os mesmos meios, mas temos algo que mais nenhum tem: esta força única que nos une e que nos faz caminhar juntos por um Portugal melhor.

Haverá voto mais útil do que aquele que defende uma vida melhor para todos?

Reforçar a CDU é uma necessidade, é melhorar a vida das populações, é construir um país mais justo e mais sustentável.

Que seja agora a mudança!
Que seja agora a vida melhor que todos merecemos!
Que seja agora a CDU!

Viva a juventude CDU!
Viva a CDU!

Sem comentários: