Intervenção de Cláudia Madeira na apresentação da Juventude CDU para as Eleições Legislativas 2015 no Quintal Bar em Lisboa


Boa tarde a todos
Bem-vindos a esta iniciativa da Juventude CDU, que reúne a JCP, a Ecolojovem e muitos, muitos jovens que se revêem neste projecto de luta, de esperança e de mudança.

E é disso mesmo que se trata: as eleições legislativas de 4 de Outubro são uma oportunidade preciosa para garantir a mudança de que o país tanto precisa e para reafirmar que a alternativa existe e que está aqui, na CDU!

E aos jovens que dizem que a política não serve para nada, que não pensam ir votar, é preciso esclarecer que votar é também uma forma de dizer basta às políticas que nos destroem a vida, e que cada voto na CDU é mais um voto nos que defendem uma alternativa a este caminho de destruição.

A CDU reconhece e valoriza o papel dos jovens na construção de um mundo melhor, e é por isso que integra nas suas listas vários candidatos jovens, para dar voz à juventude.

Nestas eleições, 11,5% dos candidatos tem menos de 31 anos, e estão representados em praticamente todos os círculos eleitorais.
É também importante valorizarmos a grande diversidade que caracteriza estes jovens que se destacam pela sua intervenção e dedicação: vêm das mais diversas áreas; 3,4% são estudantes, temos trabalhadores em fábricas, call centers, professores, artistas, dirigentes associativos…

A Juventude CDU é tão diversificada mas tão unida por um objectivo comum: levantar o país da desgraça em que tem estado mergulhado, e lutar por um Portugal com futuro.

E a pergunta que todos os jovens – e não só – devem fazer é: é ou não possível ter uma vida melhor, em vez de se tentar sobreviver num país que empurra os jovens para uma nuvem negra de desemprego, de dificuldades, de precariedade e de emigração?

A resposta da CDU a estas questões é muita clara e muito verdadeira. É possível! Nada disto tem que ser assim! Nada disto é inevitável!
A diferença está entre os que acreditam no país e nas suas gentes e os que não acreditam. E nós somos aqueles que acreditamos.

É por isso que, desde o início, temos defendido renegociar a dívida, pôr fim à austeridade, promover a justiça social e o emprego com direitos, defender os serviços públicos e defender a nossa soberania.

Voltamos a dizer: é urgente renegociar a dívida porque, da forma como está estruturada, não é sustentável. Os pesados sacrifícios que nos foram impostos não reduziram a dívida que, em vez disso, não pára de aumentar. Só com uma renegociação dos seus montantes, juros e prazos será possível ter uma folga na economia para criar investimento e emprego.
Mas aquilo a que temos assistido é ao PSD, CDS e PS, os responsáveis pela situação que vivemos, refugiarem-se em questões supérfluas que têm marcado as suas campanhas em vez
de debaterem os problemas reais das pessoas, para continuarem com as mentiras e as falsas inevitabilidades porque, no fundo, não pretendem mudar de políticas.

A realidade é que não estamos melhor, nem vamos estar enquanto não houver uma ruptura a sério com as políticas destes três partidos.
Quantos, de todos os que aqui estamos hoje, sentem na pele ou conhecem um familiar, um amigo, um colega que vive com dificuldades, que tem que adiar os seus planos, ou que teve que emigrar?

Podíamos passar aqui horas a elencar os ataques dos sucessivos governos e particularmente do actual governo PSD/CDS-PP, que conduzem a juventude à pobreza, à instabilidade e à dificuldade em realizar os seus sonhos e aspirações.

Podíamos falar do desemprego, da precariedade, dos custos do ensino, do aumento do custo de vida, do desinvestimento na cultura e no desporto, da delapidação de recursos naturais, da destruição dos transportes públicos, da destruição da vida de milhares de jovens, e tudo isto acontece porque quem governa este país tem um objectivo: o lucro dos grandes grupos económicos em vez do bem-estar das pessoas.

É inaceitável que vão milhões de euros para os bancos, quando se tira à educação, à saúde, ao desporto, e à cultura. Tira-se a tudo o que é fundamental para a juventude portuguesa.

É preciso denunciar que PSD e CDS ganharam as eleições com mentiras e continuaram a mentir ao longo de quatro anos e agora continuam as manobras para iludir os portugueses.

Também o PS não fica de fora deste jogo de mentiras e manipulações. Afinal, sempre que é preciso, são parceiros.

Portanto, é fácil ver que a mudança tão necessária não vai acontecer com a alternância entre PSD/CDS e PS.

Estes partidos podem ter, e têm, muitos meios à disposição para propagar uma campanha que mais uma vez engana as pessoas. Nós podemos não ter os mesmos meios, mas temos algo que mais nenhum tem: esta força única que nos une e que nos faz caminhar juntos por um Portugal melhor.

Haverá voto mais útil do que aquele que defende uma vida melhor para todos?

Reforçar a CDU é uma necessidade, é melhorar a vida das populações, é construir um país mais justo e mais sustentável.

Que seja agora a mudança!
Que seja agora a vida melhor que todos merecemos!
Que seja agora a CDU!

Viva a juventude CDU!
Viva a CDU!

Ecolojovem - «Os Verdes» promove acampamento sob o lema da Biodiversidade, no distrito de Aveiro

A Ecolojovem - «Os Verdes» organiza mais um acampamento de Verão, de 26 a 30 de Agosto. 

Este ano a iniciativa decorrerá no Parque de Campismo de Cortegaça, sob o lema “Acampamento pela Biodiversidade” e contará com diversas iniciativas pelo distrito de Aveiro  
O acampamento deste ano insere-se na campanha para as eleições legislativas de 4 de Outubro e será um momento de reafirmação do projeto ecologista e da CDU.  
A Ecolojovem pretende alertar para as políticas erradas dos sucessivos governos que prejudicam o ambiente e a biodiversidade e, ao mesmo tempo, apresentar propostas que permitam promover o desejável equilíbrio entre a conservação da natureza, o desenvolvimento e o direito a ter uma vida melhor.   
Os jovens ecologistas não se revêem nas inevitabilidades que PS, PSD e CDS apresentam e acreditam que há alternativas e soluções para o país e para as pessoas, indo ao encontro das aspirações e necessidades da juventude.

Durante o acampamento serão promovidas várias ações de contacto com a população, sendo de destacar o debate com o cabeça de lista da CDU pelo círculo de Aveiro, Miguel Viegas, assim como tertúlias, caminhadas, ações de rua, visitas, jogos, workshops e muito mais.

Ecolojovem - «Os Verdes»
O contato do Gabinete de Imprensa de “Os Verdes”

(T: 213 960 308; TM: 917 462 769 - imprensa.verdes@osverdes.pt)
www.osverdes.pt
Lisboa, 24 de Agosto de 2015

Ecolojovem – «Os Verdes» promove Acampamento pela Biodiversidade no distrito de Aveiro


A Ecolojovem – «Os Verdes» organiza mais um acampamento de Verão, de 26 a 30 de Agosto, este ano no Parque de Campismo da Praia de Cortegaça (Ovar) sob o lema “Acampamento pela Biodiversidade” e contará com diversas iniciativas pelo distrito de Aveiro.

O distrito de Aveiro é uma área muito rica em biodiversidade, devido às suas características geomorfológicas. Situado numa região de montanhas sulcadas por vales e planícies lagunares banhadas pela ria, detém um papel importante no contexto da biodiversidade nacional.
O litoral do distrito é arenoso, uma paisagem típica de zonas lagunares, onde destacam como património natural a Reserva Natural das Dunas de São Jacinto (Reserva), a ria de Aveiro (ZPE), a Barrinha de Esmoriz e o rio Vouga, ambos classificados como Sítio - na Rede Natura 2000, a Pateira de Fermentelos e a Pateira de Frossos, entre outros.
Embora na parte litoral do distrito seja, de um modo geral onde se concentram estes ecossistemas com grande valor florístico e faunístico, nomeadamente ao nível ornitológio, esta é uma área extremamente sensível que está exposta à grande pressão humana e aos seus impactos.
A zona do interior do distrito não é menos rico em termos de biodiversidade, mas esta está a ser abarrotada pela expansão da monocultura de eucalipto, diminuindo assim a presença de espécies autóctones prejudicando a fauna, os solos e os recursos hídricos e aumentando a gravidade dos incêndios florestais.

O acampamento deste ano insere-se na campanha para as eleições legislativas de 4 de Outubro e será um momento de reafirmação do projecto ecologista e da CDU (PCP-PEV). O acampamento pela Biodiversidade que terá lugar no Parque de Campismo de Cortegaça (Ovar) contará com a presença de vários candidatos do PEV, alguns da Ecolojovem - «Os Verdes», que integram as listas da CDU pela Círculo Eleitoral de Aveiro, à Assembleia da República, e que participarão nas várias iniciativas previstas: tertúlias, caminhadas, passeios de bicicleta e em transporte público, ações de rua, visitas e workshops.

A Ecolojovem - «Os Verdes» pretende alertar para as políticas erradas dos sucessivos governos que prejudicam o ambiente e a biodiversidade e, ao mesmo tempo, apresentar propostas que permitam promover o desejável equilíbrio entre a conservação da natureza, o desenvolvimento e o direito a ter uma vida melhor.
Os jovens ecologistas não se revêem nas inevitabilidades que PSD, PS e CDS apresentam e acreditam que há alternativas e soluções para o país e para as pessoas, indo ao encontro das aspirações e necessidades da juventude. A alternativa que o país precisa está indissociável do reforço do PEV e da CDU.

O acampamento pela Biodiversidade que terá lugar no Parque de Campismo de Cortegaça (Ovar) contará com a presença dos candidatos do PEV, que integram as listas da CDU pela Círculo Eleitoral de Aveiro, à Assembleia da República, e que participarão nas várias iniciativas previstas: tertúlias, caminhadas, passeios de bicicleta e em transporte público, ações de rua, visitas e workshops.

Que seja agora! Queremos uma política adequada para a preservação da biodiversidade e para a juventude.

Ecolojovem - «Os Verdes»
O contato do Gabinete de Imprensa de “Os Verdes”
(T: 213 960 308; TM: 917 462 769 - imprensa.verdes@osverdes.pt)
Lisboa, 19 de Agosto de 2015

Dia Internacional da Juventude - Ecolojovem – «Os Verdes» exige uma juventude com direitos!



O dia Internacional da Juventude é celebrado hoje, por resolução da Assembleia Geral da ONU em 1999, em resposta à recomendação da Conferência Mundial de Ministros responsáveis pela Juventude reunida em Lisboa entre 8 e 12 de Agosto de 1998.

A juventude pelas suas características etárias é uma geração capaz de impulsionar, transformar, modernizar e alterar o pensamento, dando origem a novas ideias, conceitos e projectos. Por estas e outras razões, os jovens são fulcrais numa sociedade que ser quer desenvolvida e sustentável.

No contexto nacional, a juventude tem e teve sempre um papel importante em diversas áreas com destaque para a intervenção cívica, o desporto, a dinamização cultural, a investigação científica, entre outros.

No entanto, nos últimos anos Portugal tem vindo a assistir a uma tomada de decisões políticas e ideológicas que muito contribuem para a destruição da qualidade de vida das populações, sendo que a juventude é uma das faixas etárias mais afectadas.

Os jovens no nosso país têm-se deparado com elevados níveis de desemprego, ou quando têm emprego, altos níveis de precariedade com salários baixos, más condições de trabalho e horários incompatíveis com a vida pessoal. Muitos destes jovens vêm-se obrigados a emigrar porque não há trabalho nas suas áreas de formação ou o trabalho que existe é mal remunerado ou não oferece boas condições físicas e/ou psicológicas, ou não oferece horário compatível com a vida pessoal.

Assim, em Portugal, torna-se impossível alcançar a emancipação e iniciar família, vida pessoal, ou carreira, tendo consequências visíveis como os altos números da emigração, ou os baixos números de natalidade.
Além da situação de desemprego, são cada vez mais os jovens que têm que abandonar os estudos por falta de formas de financiamento, como, por exemplo, falta de bolsas de estudo.

A estes factores junta-se ainda o desinvestimento na cultura, que não permite a construção completa do ser humano em termos intelectuais, a falta de apoios ao desporto, importante no desenvolvimento de diversas capacidades físicas e motoras nos jovens, bem como o combate a problemas de saúde como a obesidade, a falta de apoios ao associativismo, os cortes na saúde entre muitas outras políticas que agravam os problemas sociais e económicas dos jovens.

Assim, a Ecolojovem - «Os Verdes» exige, neste dia Internacional da Juventude, direitos para a juventude portuguesa e saúda todos os jovens que diariamente lutam por uma sociedade mais justa, por políticas de enriquecimento das populações e por uma vida digna e emancipada.

VIVA A JUVENTUDE!

Programa do Acampamento da Ecolojovem - Aveiro 2015





Mapa com indicação da distância por carro desde Aveiro utilizando a A25 ou a E1: