30 anos do Partido Ecologista Os Verdes - Intervenção da Ecolojovem


Boa noite
Bem-vindos Companheiros e Companheiras,
Ilustres convidados e convidadas

É com muito orgulho que, em nome da Ecolojovem - «Os Verdes», saúdo o 30º aniversário do Partido Ecologista «Os Verdes».  

Ao longo destes 30 anos, o PEV tem sido um partido jovem, com muitos jovens entre os seus militantes e simpatizantes, e nos órgãos de direcção.

Pela sua identidade, princípios e objectivos é um Partido preocupado e direccionado para a juventude, porque acredita que a construção de um país melhor, com um futuro sustentável, passa necessariamente, pela participação da juventude.

E é com preocupações e propostas para o presente, mas acautelando e preservando o futuro, que «Os Verdes» pensam e agem, pois um verdadeiro ecologista não esquece que apenas pedimos o mundo emprestado aos nossos filhos e, um dia, vamos ter que devolvê-lo, e se pretendemos um mundo sustentável não pode ser piores condições do que o encontrámos.

Por isso, a Ecolojovem e os Verdes, têm trabalhado numa revolução verde do Planeta. Uma revolução baseada nos valores de equilíbrio, de justiça, de igualdade, no fundo, de sustentabilidade ambiental, mas também económica, política e social.
Porque é urgente, e porque é o mundo que temos que deixar às gerações futuras. E quem, como nós, tem como ideologia, a ideologia ecologista, não tem dúvidas em relação a isto. E é com este pensamento que agimos no dia-a-dia.

No momento em que celebramos 30 anos dos Verdes, do nosso Partido, um Partido de todos e de todas, um Partido do ambiente, da natureza, da igualdade, da justiça, da democracia, da ecologia, um Partido da juventude, não podemos deixar de assinalar o contexto com que os jovens se deparam actualmente e a resposta firme que têm dado.

A juventude, um dos maiores potenciais do nosso país, tem sido desprezada e atacada pelos sucessivos governos, sem excepção. E o actual governo não foge à regra. Aliás, tem atacado ferozmente a juventude.

Especialmente numa altura em que é urgente abrir um novo caminho, de esperança e de mudança, construir uma alternativa de futuro próspero para o país e para a juventude, o Governo investe, cada vez mais, em medidas brutais contra os jovens.

E falamos de ataques aos direitos mais básicos da juventude, que, no entanto, os diferentes  governos PS, PSD e CDS continuam  a querer negar.

Falamos do desemprego que não pára de aumentar, (o desemprego jovem situa-se já nos 39%) e se os números são assustadores, sabendo que, por detrás destes números, temos pessoas, o cenário passa a ser aterrador.

A precariedade, independentemente da forma que assuma, afecta muitos milhares de jovens, e outros tantos são empurrados para a emigração, como aliás o Governo, incapaz de dar uma resposta no nosso país, tem vergonhosamente sugerido.

A juntar ao aumento do custo de vida, os custos do ensino são cada vez mais elevados. As propinas aumentam e as bolsas diminuem. A Acção Social Escolar está cada vez mais longe de responder às necessidades dos estudantes. Muitos jovens estudam em escolas com falta de condições materiais e humanas. O ensino é cada vez mais elitista, e menos democrático.

Na habitação, a falta de apoio faz com que muitos jovens vejam dificultada e até mesmo impossibilitada a sua emancipação.

As áreas da cultura e do desporto, têm sofrido grandes desinvestimentos, sendo não um direito de todos nós, mas um privilégio apenas daqueles que podem pagar.

Os transportes públicos colectivos são atacados quase diariamente. Os brutais aumentos dos títulos de transporte e o corte dos passes escolares retira aos jovens um direito tão fundamental como é o direito à mobilidade, e ao próprio ensino, pois muitos tinham neste apoio a única forma de se deslocarem até à escola.

O resultado está à vista: olhando para o nosso país, vemos uma contínua destruição da situação económica, social e política. Um país mais desigual, mais dependente, mais injusto. À medida que o tempo avança, fica cada vez mais exposto o resultado de uma governação desastrosa e destruidora, conduzida por três diferentes partidos, mas muito bem alinhados nas medidas devastadoras, com um único objectivo, tirar do povo para continuar a alimentar grandes grupos económicos.

Mas falar destes problemas, é também falar da incansável acção e intervenção da Ecolojovem perante as dificuldades da juventude, porque temos estado sempre presentes, ao lado dos jovens.

Porque é assim que a juventude ecologista funciona, com grande conhecimento e ligação à realidade, aos problemas, aos anseios e reivindicações da juventude e do povo português.

Por parte da juventude, sabemos que temos grandes e difíceis tarefas pela frente, grandes responsabilidades, mas assumimo-las e cumpri-las-emos.

E a todas estas ofensivas, dizemos não!

Os tempos que vivemos hoje exigem uma juventude cada vez mais preparada, mais forte, mais activa, mais interventiva.

Os jovens ecologistas são chamados a redobrar o trabalho para cumprir o seu papel insubstituível de transformação da sociedade.

Tentam fazer com que desacreditemos nas nossas capacidades, que nos alheemos da realidade que nos rodeia, que desmobilizemos. Mas nós não desistimos, e a cada novo ataque respondemos com uma nova força e vigor, cada vez mais convictos que podemos mudar, que podemos melhorar, e encontramos na Ecolojovem e nos Verdes essa resposta.

Os jovens precisam de soluções, de alternativas e de um novo caminho, e esse caminho é com Os Verdes, sem dúvida.

E reconhecemos todo o trabalho dos verdes ao longo destes anos, e é por isso que os jovens portugueses acreditam e sabem que o Partido Ecologista «Os Verdes» é a força com que podem contar.
  
Sem Os Verdes o caminho para esta destruição e ataque por parte do Governo estaria, seguramente, mais facilitado, mas os verdes são uma voz activa, pertinente e necessária para a defesa dos jovens. E não abdicam disso.

De facto, sabemos que podemos continuar a contar com Os Verdes para pensar e desenvolver propostas de solução para os problemas; para reivindicar e propor políticas de apoio à juventude, e para colaborar e participar em conjunto com a Ecolojovem.

Esta ligação de proximidade entre os Verdes e a Ecolojovem é muito importante pois reconhecemos a importância do trabalho colectivo e do contributo de cada um de nós, ao lado de todos os outros. E a Ecolojovem não seria a organização que é sem a colaboração e a articulação que há com os Verdes.

Companheiros,
a par do património de lutas já construído pelo PEV, também a Ecolojovem tem um historial valioso e indispensável. E, daqui para a frente, daremos continuidade a este projecto.

E nesta altura será justo não esquecermos, e prestamos por isso uma justa homenagem, às pessoas que foram passando pela Ecolojovem e que ajudaram a construir o que somos hoje, que constituíram uma base sólida, sobre a qual se desenvolveu e desenvolve o projecto da Ecolojovem.

Neste momento em que assinalamos esta data especial, os 30 anos do nosso Partido, reafirmamos a determinação do colectivo que é a Ecolojovem, que assume com honra a defesa dos valores e princípios verdes, projectando esses valores no presente e no futuro, afirmando e reforçando com firmeza, convicção e dedicação o ideal ecologista.

Sabemos que os companheiros e amigos, sairão hoje daqui com a certeza que terem tomado a decisão de se juntarem à Ecolojovem e aos Verdes, e de divulgarem este nosso projecto e ideal, é indispensável no reforço da luta da juventude, por um futuro digno e melhor, pela igualdade, pela democracia, pela paz e pela ecologia!

Viva a juventude!
Viva a Ecolojovem - «Os Verdes»!
Viva os 30 anos do PEV!
Viva o Partido Ecologista «Os Verdes»!

Cláudia Madeira
15/12/2012 – Comemoração dos 30 anos do PEV
União Setubalense

Sem comentários: