Conclusões da reunião da Ecolojovem - «Os Verdes» em Lisboa

No passado Sábado, dia 13 de Outubro, a Ecolojovem - «Os Verdes» reuniu em Lisboa com o objetivo de analisar a situação atual, com destaque para as mais recentes medidas de austeridade, e os seus impactos na vida dos jovens.

A juventude e o povo português vivem hoje uma situação que se traduz num verdadeiro retrocesso das condições de vida e dos seus direitos e as novas medidas avançadas pelo Governo são mais uma ofensiva contra os jovens. Os jovens são particularmente afetados pelo desemprego e precariedade, pelos cortes na educação, nos passes escolares, nos apoios à habitação, e estão cada vez mais longe das vidas a que têm direito.  
O ataque aos direitos dos jovens trabalhadores tem sido escandaloso e traz mais precariedade, mais exploração e mais desemprego, e isto quando o desemprego entre jovens até aos 25 anos já se situa nos 36% e muitos destes jovens não têm qualquer proteção social. Esta situação traduz-se numa emancipação tardia e numa vida sem perspectivas.  
No Ensino deparam-se com novos cortes, com escolas e turmas sobrelotadas, com a falta de condições materiais e humanas, aumentam os custos de acesso e de frequência, a Ação Social Escolar é insuficiente e restrita, ao mesmo tempo que se corta nos salários e o custo de vida aumenta. Também a nível do ensino profissional o Governo tem seguido uma linha de desvalorização e de desinvestimento. A Ecolojovem - «Os Verdes» alerta para o facto de haver alunos que começam o ano letivo sem manuais escolares, sem dinheiro para os materiais escolares e para as refeições e para o facto de haver menos alunos a candidatarem-se ao Ensino Superior e mais alunos a desistirem devido à sua situação económica e das suas famílias. A agravar toda esta situação, os estudantes viram ser cortado o apoio no passe escolar, um verdadeiro ataque ao direito à mobilidade dos jovens, que fez com que muitos desistissem da escola.  
Também as alterações ao Estatuto do Aluno mereceram atenção por parte dos jovens ecologistas, que consideram que o seu carácter antidemocrático e repressivo é aprofundado, com as medidas de penalização para os estudantes, como a imposição de multas para quem que ultrapassa o limite de faltas, os castigos, a suspensão, a exclusão das atividades escolares, e a expulsão; o código de vestuário obrigatório, entre muitas outras. No seio do movimento associativo juvenil há cada vez mais cortes no financiamento e nos apoios. O sector da cultura tem sido atingido por um desinvestimento brutal, com consequências graves para os trabalhadores desta área e a nível do acesso à criação e fruição cultural.
A Ecolojovem - «Os Verdes» considera que os jovens vivem hoje uma situação muito difícil, marcada por graves ataques aos seus direitos e à sua qualidade de vida. O Governo tem investido brutalmente contra os jovens, querendo retirar-lhes qualquer perspectiva e esperança de um futuro melhor.
Perante este cenário, os jovens ecologistas não se resignam e reafirmam a sua luta em defesa de melhores condições de vida para a juventude, defendem um ensino público, gratuito e de qualidade para todos, defendem a produção nacional, a promoção do emprego com direitos, o investimento nos apoios à cultura e ao desporto, entre outras medidas que garantam aos jovens viver a juventude em toda a sua plenitude, sem se verem privados dos seus direitos.
A Ecolojovem - «Os Verdes» saúda a marcha contra o desemprego, que decorreu de 5 a 13 de Outubro, convocada pela CGTP-IN, à qual os jovens ecologistas se associaram exigindo melhores condições de vida. Saudamos também as diversas manifestações em defesa da cultura que decorreram em vários locais do país.

A Ecolojovem - «Os Verdes»
O Gabinete de Imprensa de “Os Verdes”
Lisboa, 15 de Outubro de 2012



Sem comentários: