Ecolojovem numa palestra sobre ambiente

Amanhã, dia 1 de Junho, a Ecolojovem - "Os Verdes" vai participar, na Escola Secundária Manuel Cargaleiro (Seixal), numa palestra sobre reciclagem e práticas ambientais.
O objectivo desta iniciativa é esclarecer sobre a situação político-ambiental em Portugal, quais as consequências da falta de políticas que preservem o ambiente e conhecer quais as propostas que "Os Verdes" têm apresentado para combater e fazer face aos desafios que vão surgindo, com vista a um desenvolvimento sustentável.

Será igualmente abordada a responsabilidade de cada um de nós adoptar um comportamento mais verde e como é possível, com pequenas medidas no dia-a-dia, contribuir para um melhor ambiente.

As fotos do Comício da CDU na Praça Paiva Couceiro


Hoje: Tempo de Antena da CDU

Hoje, dia 29 de Maio, vai para o ar o Tempo de Antena da CDU, às 19h00, na RTP1, com as
"10 Razões para Votar Verde".

Não percas!

Comício em Lisboa

Amanhã, dia 30 de Maio, vai realizar-se um Comício/Festa em Lisboa, na Praça Paiva Couceiro, pelas 15h00.

Vai ser um momento de afirmação e reforço da CDU, com animação musical e com a participação de Cláudia Madeira, candidata de "Os Verdes" na lista da CDU ao Parlamento Europeu, e de Rúben de Carvalho, Vereador da CDU e candidato à Presidência da CML.

A Ecolojovem vai marcar presença nesta acção!
Junta-te a nós!

Vota CDU nas Eleições Europeias 2009


Dia 7 de Junho
Vota Verde
Vota CDU!
Só o voto nos Verdes e na CDU
garante uma Europa e um Portugal para todos!

Tertúlia em Sines

O Partido Ecologista "Os Verdes" está a organizar, para o próximo dia 30 de Maio, Sábado, uma Tertúlia/Conversa em Sines sobre os temas: Alterações Climáticas e Conservação da Natureza. Esta iniciativa contará com a participação do deputado ecologista e candidato ao Parlamento Europeu, Francisco Madeira Lopes e com o dirigente nacional Victor Cavaco.
Aparece!
Traz a tua opinião.
Traz um amigo também.
Contamos com a tua presença!
Tertúlia / Conversa Dia 30 de Maio – Sábado às 16h - Na Cafetaria do Castelo de Sines

Voto Verde É URGENTE!

a notícia no Destak...

O secretário-geral do Partido Comunista Português (PCP) apelou hoje à mobilização da juventude contra a «ofensiva do Capital e da Direita» e na defesa dos direitos ao ensino e ao trabalho.
Jerónimo de Sousa acusou os vários governos dos «últimos mais de 30 anos» de se aproveitarem daqueles que se encontram numa fase da vida de busca da autonomia como se de um «enorme exército de desempregados» se tratasse, «pronto a aceitar qualquer trabalho», constituindo-os como o «alvo preferencial dos Srs. do dinheiro».
«A juventude é a guarda avançada desta geração sem direitos e tem sido mais duramente atingida precisamente nestes pilares que são o ensino e o trabalho. A nossa Constituição protege estes direitos mas não tem sido efectivada», disse, num encontro em Lisboa com elementos das organizações juvenis do PCP e do Partido Ecologista “Os Verdes”, juntos na Coligação Democrática Unitária para as eleições europeias de 07 de Junho. O líder comunista afirmou ainda que os sucessivos governantes têm vindo a ser instrumentalizados por empresários, citando Belmiro de Azevedo, e pelo sector da Banca, que «receiam a tomada de consciência e desejam uma juventude anestesiada e indiferente».
«Em nome da crise, estão a tentar recuperar aquelas parcelas de direitos e conquistas ganhas pelos povos e trabalhadores em luta. Tomem o vosso futuro nas mãos e lutem. No tempo da escravatura, o trabalho não faltava, faltavam era os direitos», continuou.
Depois de ouvir várias experiências dos presentes, Jerónimo de Sousa mostrou-se contra aquilo que considera ser a crescente «elitização e mercantilização do ensino», assim como as «cada vez maiores condições precárias de trabalho».
O secretário-geral do PCP, que defendeu ser um partido com uma visão transversal dos problemas da juventude, sublinhou também o «papel fundamental e dominante da camada dos jovens na vitória do 25 de Abril, com contributos vitais», argumentando que outros partidos só se lembram de «questões fracturantes» ou que digam respeito aos cidadãos mais novos por altura de eleições.
In: Destak

Juventude CDU -"As novas gerações e os seus direitos...na luta por uma vida melhor"

Ao final da tarde de ontem, a Ecolojovem marcou presença no debate "As novas gerações e os seus direitos... na luta por uma vida melhor". A iniciativa da Juventude CDU, inserida na campanha para as eleições europeias, quis ouvir e dar voz às preocupações e inquietações dos jovens. Com a presença de Jerónimo de Sousa, muitos foram os que quiseram dar o seu testemunho.

Os direitos consagrados na Constituição Portuguesa, desde a educação, o emprego, a habitação e o ambiente, foram alguns dos abordados pelos presentes, numa clara denúncia dos ataques e perdas que estes direitos têm sofrido, ao longo dos últimos 30 anos.

Ficou demonstrado que os jovens não estão alheados das questões, pois muitos falaram das suas situações pessoais, onde diariamente são confrontados com situações específicas de trabalho precário, apoios sociais inexistentes no ensino secundário e superior, dificuldades na aquisição de habitação, entre outras. Num claro exemplo de tudo aquilo que dificulta a emancipação e a autonomia juvenil.

A Ecolojovem-"Os Verdes" falou que é dever dos Jovens da CDU alertarem para a gravidade das políticas ambientais da UE, que se têm caracterizado por se sujeitarem aos interesses do grande capital, tornando o ambiente numa mercadoria. É também dever da Juventude CDU anunciar que são os deputados da CDU que têm apresentado as alternativas sérias, que fazem do ambiente um bem público e essencial para o desenvolvimento sustentável.

É necessário continuar a lutar pelo direito à água e pela sua gestão pública e integrada com um serviço de qualidade; pela defesa da protecção da Natureza e da Biodiversidade, nomeadamente com a concretização efectiva da Rede Natura 2000; pela defesa dos transportes públicos colectivos, com preços socialmente justos, de modo a facilitar a mobilidade dos jovens, e aqui gostaríamos de realçar o facto de nas periferias dos centros urbanos e no interior do país os jovens estarem muito dependentes dos transportes públicos, que são na maioria insuficientes ou mesmo inexistentes.

A Juventude CDU defende também uma revolução energética, com base nas fontes de energia renováveis e opõe-se fortemente ao nuclear. O combate às alterações climáticas é para todos nós prioridade, na qual se deverão aplicar políticas efectivas e reais, para construirmos uma Europa ambientalmente sustentável, com direitos para todos, para uma vida melhor.

Iniciativa Juventude CDU - 27 de Maio, Museu de Arte Contemporânea

A Ecolojovem-"Os Verdes" vai estar presente em mais uma iniciativa da JCDU...
À conversa com Jerónimo de Sousa sobre os direitos dos jovens, para que a luta da CDU seja a de todos nós.
Aparece e traz um amigo também...



...uma mancha verde na marcha da CDU...


...a história das coisas...

Eleições Europeias 2009 - Os Verdes da Suécia em Portugal

Per Gahrton, membro dos Verdes Suecos e representante do Partido Verde Europeu, estará em Portugal no próximo dia 27 de Maio.
Destacamos a sua presença na seguinte iniciativa: 27 de Maio às 21.00h na Tertúlia “O Parlamento Europeu, a União Europeia e as Políticas de Ambiente” Octubros Bar (Av. 5 de Outubro) às 21.00h, em Setúbal.
Também com a participação dos candidatos do PEV, Francisco Madeira Lopes e Cláudia Madeira.
APARECE!
PARTICIPA!

Os/As jovens e a política


A Ecolojovem esteve presente como convidado, este Domingo, no debate organizado pelo Conselho Nacional da Juventude, no âmbito do XI ENJ.

A mesa redonda teve a participação de outras três juventudes partidárias, e d@s jovens participantes neste encontro realizado em Braga.
Sob o mote «Os/As jovens e a política» foram debatidos vários temas, como a igualdade de género, as leis de imigração, o ensino superior, as formas de participação democrática, e os direitos e políticas de apoio à juventude de uma forma geral.

Ecolojovem na Marcha CDU


A Ecolojovem -"Os Verdes" participou na Marcha da CDU!

Milhares de pessoas desfilaram nesta grandiosa Marcha, entre a Praça do Saldanha e o Marquês de Pombal.
Foi uma marcha de protesto e luta, a maior acção alguma vez realizada por uma força política em Portugal.
Sob o lema"Nova Política - Uma vida Melhor" milhares de jovens manifestaram-se contra as políticas que têm (des)governado o país, retirado direitos aos jovens, aos estudantes e aos trabalhadores.
A CDU e a Juventude CDU mostraram um cartão vermelho a este governo que não nos governa!
"Basta! Basta! Basta! Esta política já está gasta"
A CDU e a Juventude CDU mostraram que são a alternativa a estas políticas, mostraram que são a força política que defende os portugueses e os jovens portugueses, que estão ao lado das populações a lutar pelos seus direitos e por melhores condições de vida.

Debate "Os Jovens e a Europa"


Realizou-se ontem um debate sobre os Jovens e a Europa, promovido pela Junta de Freguesia de Cacilhas, no auditório da Escola Secundária Cacilhas-Tejo.

Tendo em conta a proximidade das eleições Europeias - 7 de Junho - este debate teve como objectivo informar a população em geral, mas mais concretamente os jovens, sobre estas eleições, qual a influência das decisões da União Europeia cá em Portugal e qual a postura dos jovens perante este processo.

"Os Verdes" denunciaram o modelo de construção europeia que se tem vindo a fazer: anti-democrático, federalista, militarista e ao serviço dos interesses das grandes potências.

As políticas que tanto prejudicam a vida dos jovens, e da população em geral, aprovadas no Parlamento Europeu têm tido o apoio dos eurodeputados do PS, do PSD e do CDS-PP. Políticas essas que cá têm sido implementadas pelos sucessivos governos nacionais.

Lá como cá, são os mesmos que optam por medidas que tanto dificultam a vida dos jovens: no ensino, na habitação, no emprego, no associativismo...

Lá como cá, são os deputados da CDU que defendem os interesses de Portugal, que defendem a produção nacional, os serviços públicos, que defendem os jovens, os estudantes e os trabalhadores.

"Os Verdes" condenaram ainda o facto de não haver reais políticas de juventude, de se implementarem medidas que prejudicam os jovens, que adiam, dificultam e impossibilitam a sua emancipação (desemprego, baixos salários, falta de apoios para habitação...).

É possível termos uma Europa e um Portugal mais verdes e mais sustentáveis, e por isso defendemos uma sustentabilidade social, política, económica e ambiental.

Só assim teremos uma juventude com direitos, só assim é possível a emancipação e realização dos jovens.

Marcha CDU: é hoje!!

É já hoje a grande Marcha da CDU sob o lema «Protesto, Confiança e Luta! Nova política – Uma vida melhor».
Participa e junta-te a nós!
O ponto de encontro será na esquina do Saldanha com a Av. Casal Ribeiro, pelas 14.30h.

Europeias 2009 - Documento da Ecolojovem-«Os Verdes»



Estão previstas várias distribuições a nível nacional!
Contacta-nos e junta-te a nós!
Por uma Europa Verde!!!

Um video porreiro...

Papiroflexia from Joaquin Baldwin on Vimeo.

As 10 Razões para Votar VERDE!!!

7 de Junho
Eleições para o Parlamento Europeu
10 Razões para Votar Verde
O Voto Verde, é o Voto na CDU

1 – Construir uma Europa para Todos. Não ao Tratado de Lisboa.
O projecto da União Europeia foi-se desenvolvendo em torno de si mesmo e os centros de poder foram-se afastando cada vez mais dos cidadãos. Os Governos e Estados foram transferindo cada vez mais soberania e capacidade de decisão. A União Europeia tornou-se arena para um mercado neoliberal e selvagem onde os grandes estados, nomeadamente o eixo franco-alemão juntamente com a Inglaterra, determinam o desenvolvimento dos restantes. O tratado de Lisboa, aprovado à revelia dos cidadãos, violando o PS a promessa eleitoral da realização do Referendo, agrava esse défice democrático e empurra a União Europeia para um instrumento nas mãos de grandes sectores económicos e para a sua constituição em bloco militar.

- “Os Verdes” e a CDU defendem uma União Europeia formada por estados-membros soberanos, com direitos iguais entre si e solidários. Defendemos o princípio de um país / um voto no Conselho e na Comissão Europeias e a rotatividade da Presidência Europeia;

- Defendemos o reforço do papel dos Parlamentos Nacionais nas políticas comunitárias e da sua cooperação com o Parlamento Europeu;

- Defendemos o desenvolvimento de condições para maior participação dos cidadãos na construção da União Europeia.
2 – Por Uma Revolução Energética. Nuclear, Não Obrigado.
A liberalização do mercado eléctrico e do gás fomenta a concentração da produção eléctrica em grandes grupos económicos privados, fora do controlo democrático dos Estados, numa estratégia de monopólio pan-europeu com base numa política de crescente produção eléctrica desligada duma política de poupança, eficiência e sustentabilidade, levando consequentemente à produção e venda para o desperdício. Os lucros energéticos, nos últimos anos e apesar das crises têm crescido vergonhosamente à custa duma lógica de mercado e política de preços que penaliza injustamente os consumidores e as empresas. Esta lógica leva não só ao agravamento dos gases com efeito de estufa como tende para soluções desastrosas do ponto de vista ambiental, como a justificação de construção de mais barragens, ou até de centrais nucleares, numa lógica de competitividade e de conquista de mercados energéticos que servem não para satisfazer as necessidades das populações e dos sectores produtivos mas antes para um crescendo insustentável do enriquecimento.

- “Os Verdes” e a CDU defendem a detenção pelo Estado da produção e distribuição eléctrica e utilização dos lucros do sector para o desenvolvimento de planos de eficiência e poupança energéticas;

- Defendemos a sustentabilidade da produção eléctrica com base em fontes renováveis;

- Defendemos a descentralização da produção e proximidade ao consumo, evitando-se os grandes centros electroprodutores e as grandes perdas energéticas no transporte de electricidade e a necessidade de implantação de redes de muito alta tensão que têm impactes na saúde pública;

- Opomo-nos à construção de mais centrais nucleares na Europa e defendemos a progressiva desactivação das existentes.
3 – Pela defesa dos Transportes Públicos. Por uma Mobilidade Saudável.
Os transportes públicos não podem ficar subjugados à lógica de mercado e do lucro, resultando na perda da sua função pública e empurrado os cidadãos cada vez mais para a utilização do automóvel. O crescente aumento da circulação automóvel tem sido um dos maiores responsáveis pelo aumento dos Gases com Efeito de Estufa (GEE) e pelo agravamento das alterações climáticas, da qualidade do ar e das doenças do foro respiratório e da desumanização do meio urbano. Por outro lado mantém-nos dependentes e reféns do petróleo e da flutuação dos seus preços.

- “Os Verdes” e a CDU defendem a gestão pública dos transportes públicos colectivos de passageiros, com preços socialmente justos e a generalização do passe social;

- Defendemos a intermodalidade, simplificação na bilhética e o apoio prioritário à ferrovia convencional e sua revitalização em todo o país;Defendemos a criação de pistas cicláveis e pedonais nas zonas urbanas e interurbanas e o investimento na rede transeuropeia de ciclovias;

- Defendemos a progressiva transferência do transporte de mercadorias para a ferrovia ou via marítima, reduzindo-se a importância da rodovia.
4 - Produzir Local, Consumir Local. Por uma Agricultura Sustentável.
Portugal, com a adesão à União Europeia, foi perdendo a sua soberania alimentar e se em 1986 importava cerca de 25% do que consumia, hoje esse valor ascende a 75%. Na realidade, os sectores produtivos, em grande parte a agricultura e as pescas, foram perdendo expressão face a uma intrusão fortemente agressiva das economias mais fortes apoiada pela UE. Como consequência, a nossa economia ficou mais frágil, dependemos mais do exterior, perdemos postos de trabalho, agravou-se o despovoamento e as assimetrias regionais, mas também a poluição atmosférica e o efeito de estufa graças ao aumento vertiginoso do transporte de mercadorias.

- “Os verdes” e a CDU defendem um maior apoio e protecção às pequenas e médias produções agrícolas, mais adaptadas às especificidades do clima e solos do país, com vantagens ambientais e geradoras de riqueza para a economia local;

- Defendemos uma Europa Livre de OGM’s, e o apoio à agricultura biológica;Queremos uma efectiva utilização dos fundos comunitários para o desenvolvimento agrícola e económico, evitando-se o retorno recorrente dos fundos que não chegam a ser utilizados;

- Defendemos a soberania portuguesa sobre as águas marítimas nacionais e o apoio às artes de pesca tradicionais, menos nefastas para os ecossistemas marinhos.
5 – Pelo Direito à Água. Não à sua Privatização.
A água é o elemento natural fundamental à vida e fundamental ao desenvolvimento económico. Todos devem ter direito à água pelo que a sua exploração e gestão não pode estar sujeita à lógica económica dos mercados, que apenas se regem com o objectivo do lucro. O processo de privatização da água em curso é uma grave ameaça ao acesso de todos à água.

- “Os verdes” e a CDU defendem a consagração da propriedade comum da água e da igualdade de direito ao seu usufruto como direito de cidadania;

- Defendemos a gestão pública e integrada da água a preços justos e com serviço de qualidade;

- Defendemos o planeamento integrado dos recursos hídricos com protecção das bacias, nascentes, rios, zonas húmidas e dos ecossistemas ripícolas;

- Defendemos a promoção do reaproveitamento das águas residuais tratadas para os fins adequados de rega e limpeza.
6 – Pela Defesa do Serviço Público. Pela Valorização do Papel do Estado.
Serviços fundamentais como saúde, educação, água, energia e transportes não podem estar sujeitos à lógica do mercado privado, que se norteia por uma filosofia de lucro à custa de um bom serviço, da qualidade de vida e sustentabilidade ambiental e social do país e da União Europeia. Todos os cidadãos têm o direito a poderem usufruir dos serviços fundamentais à sua sobrevivência e qualidade de vida. O Estado deve, além disso, garantir a sua capacidade de intervenção adequada nos sectores fundamentais para a sustentabilidade da economia e das empresas do país.

- "Os verdes” e a CDU defendem a escola pública e o ensino gratuito a todos os níveis, incluindo o universitário, com forte componente de investigação aplicada;

- Defendemos o SNS com gestão pública, com serviços descentralizados, garantindo a todos e em todo o território, o acesso equitativo e em tempo útil aos cuidados de saúde;

- Defendemos a gestão pública do sector electroprodutor, descentralizado, com ênfase na poupança e eficiência energética e na diversidade de fontes renováveis e endógenas e sustentáveis com maior incidência na tecnologia solar;Defendemos a gestão pública dos transportes públicos, valorizando a ferrovia e o apoio à gestão municipal.
7 – Pela Protecção da Natureza. Não à Privatização da Biodioversidade.
Longe vai a imagem da União Europeia como o garante da defesa dos valores ambientais e naturais, nomeadamente com a rede Natura 2000. Essa imagem tem vindo a decair. Os programas de recuperação e defesa da biodiversidade no espaço europeu são cada vez mais operações pontuais de marketing e menos acções estruturantes e consequentes de defesa e protecção das espécies e seus habitats, em equilíbrio com a actividade humana. O recente desenvolvimento de programas como Business & Biodiversity que fazem depender a conservação da natureza da existência ou não de parceiros privados para o seu financiamento que, como tem acontecido em Portugal e com os sucessivos e drásticos cortes orçamentais do instituto da tutela, tem resultado no abandono e na perda de habitat e biodiversidade e na subjugação a lógicas de exploração e espoliação do património natural.

- “Os Verdes” e a CDU defendem a concretização e funcionamento da rede Natura 2000 e de parques e reservas com quadro de pessoal adequado e meios financeiros suficientes;

- Defendemos a criação de condições de apoio à tomada de decisões e ao envolvimento e participação das populações e autarquias abrangidas;

- Defendemos a recuperação da floresta autóctone e a salvaguarda de corredores ecológicos contínuos e interligados;

- Defendemos a protecção dos ecossistemas marinhos e a soberania nacional na ZEE portuguesa.
8 – Por direitos Iguais para Todos. A Diversidade é Fundamental à Vida.
As intolerâncias têm vindo a agravar-se, a insegurança e os ataques a direitos, liberdades e garantias intensificam-se. A Europa deve garantir o efectivo cumprimento dos direitos e da igualdade de oportunidades para todos. A igualdade entre homens e mulheres deve ser uma realidade. Os direitos dos imigrantes e dos refugiados devem ser salvaguardados e nenhuma minoria deve ser ignorada, maltratada ou rejeitada. A Europa tem de implementar políticas de igualdade e de integração.

- “Os Verdes” e a CDU defendem condições dignas para as populações com a defesa de direitos sociais e civis em todos os Estados Membros;

- Pela não discriminação independentemente do género, cor, religião ou orientação sexual;Pela remoção dos obstáculos materiais, legais e de mentalidade à plena participação das pessoas portadoras de deficiência;

- Por uma política de imigração de integração com direitos sociais no respeito pela diversidade cultural.
9 – Por Emprego com Direitos. Não à Precariedade e à Flexisegurança.
O desemprego é hoje o pior flagelo social que atinge Portugal, arrastando atrás de si o aumento do trabalho precário e sem direitos, da pobreza, miséria e exclusão social. A actual situação económica de crise que agravou drasticamente o desemprego e as falências (as verdadeiras e as oportunistas injustificadas), tem responsáveis naqueles que têm defendido as políticas de direita em que o Estado se abstém de intervir e se deixa ao Mercado ceifar tantas vítimas quantas forem reclamadas. Em Portugal, com o Código de Trabalho Bagão Félix / Vieira da Silva, como na Europa da Flexigurança ou da Directiva do Tempo de Trabalho, o caminho tem sido sempre o de sacrificar os direitos laborais e sociais em nome da competitividade.

- “Os Verdes” e a CDU defendem o emprego como um direito e o emprego com direitos, combatendo a precariedade e os falsos recibos verdes;Defendemos a convergência social e salarial europeia e o respeito dos direitos dos trabalhadores;

- Pelas 35 horas laborais semanais;

- Por melhores salários e pela recuperação do poder de compra.
10 – Pela Paz. Não à Militarização da Europa.
A história recente tem conhecido uma realidade de constantes ameaças, ocupações, e uma crescente militarização. Os conflitos agravam-se, a cultura do medo aumenta e a ameaça terrorista é semeada.Tem-se invocado o direito de defesa e de luta contra o terrorismo para invadir, ocupar e destruir, quando a principal e verdadeira razão é a afirmação imperial, o domínio e o controlo dos recursos e das riquezas. A Europa não deve apoiar nenhuma política que fomente a guerra, o recurso à violência para resolver os conflitos. Deve actuar no sentido de implementar uma política de paz.

- “Os Verdes” e a CDU defendem uma Europa de Paz, de amizade, de cooperação e de solidariedade entre os povos;

- Pela desmilitarização e pelo desarmamento na Europa, pela proibição de armas nucleares e outras armas de destruição massiva;Pelo fim da NATO e pelo reforço e valorização do papel da ONU na resolução de conflitos e entendimento entre estados;

- Pelo efectivo cumprimento da Carta das Nações Unidas e do Direito Internacional.

Dia 7 de Junho Vota Verde, Vota CDU!
Por uma Europa para Todos!

Já disponível novo nº da Contacto Verde


Na Contacto Verde Nº 64 o destaque vai para a nova legislação que altera o Regime Geral dos Bens do Domínio Público, aprovada no passado dia 7 de Maio e que tem sido amplamente contestada por vários sectores da sociedade.
Na entrevista Philippe Lamberts, porta-voz dos Verdes Europeus dá a conhecer melhor o Novo Acordo Verde para a Europa.
No Em debate, escreve-se sobre a reacção ecologista ao recente aval dado pelo Ministro do Ambiente à barragem da foz do Tua.

Nesta Contacto Verde podes encontar mais algumas informações sobre iniciativas da Ecolojovem e de "Os Verdes".

Para consultar este nº da newsletter:http://www.osverdes.pt/contactov.asp?edt=64
Se quiseres consultar outros números: http://www.osverdes.pt/contactov.asp
Caso pretendas receber a newsletter envia um email para

Iniciativa JCDU - Animação Musical

Intervenção de Cláudia Madeira, Candidata dos Verdes nas listas CDU ao Parlamento Europeu

Amigos e companheiros!
Boa tarde a todos os que aqui estão hoje nesta iniciativa da Juventude CDU!
Saúdo todos os membros e amigos da JCP, da Ecolojovem e independentes.
É com muito orgulho e empenho que a Ecolojovem – “Os Verdes” integra a Juventude CDU. Acreditamos que neste espaço há o entendimento, a força e a vontade de trabalhar rumo a uma mudança necessária.
A situação que vivemos hoje faz com que esta mudança seja cada vez mais necessária, urgente e inadiável.
Este ano teremos três actos eleitorais, começando pelas eleições para o Parlamento Europeu, já no dia 7 de Junho; portanto daqui a menos de um mês.
Na CDU encontramos o espaço da juventude que se preocupa, que se interessa e que luta pelos seus direitos, que luta por uma vida melhor.
A CDU reconhece nos jovens a força e a capacidade de mudança, sabe que os jovens são elementos que transformam a sociedade, que não encaram as situações como sendo inevitáveis, mas sim como situações que podem e devem ser combatidas e alteradas.
Exactamente por isso, encontramos nas listas da Coligação Democrática Unitária vários candidatos jovens. Para levar a voz dos jovens onde ela é necessária: nas autarquias, na Assembleia da República e no Parlamento Europeu.
A Juventude CDU, composta pela JCP, pela Ecolojovem e por milhares de jovens, identifica-se e revê-se neste projecto precisamente porque aqui temos o nosso espaço, a nossa voz e sabemos que estamos a contribuir decisivamente para reforçar e fortalecer a CDU.
A lista de candidatos às Eleições Europeias é uma lista com grande potencial, reunindo homens e mulheres das mais diversas áreas, jovens, pessoas experientes, candidatos empenhados nesta batalha, que têm participado activamente na campanha, por todo o país, falando com a população, com os jovens, ouvindo as suas propostas, as suas necessidades e aspirações.E só assim conseguimos chegar a tantos jovens!
A situação difícil e delicada que afecta os jovens cá não está desligada das políticas fomentadas pela União Europeia:
a privatização do ensino, o desmantelamento da escola pública e democrática, o encerramento de escolas, o aumento dos custos com o ensino e a educação, a desvalorização da acção social escolar, o desemprego e a precariedade, os baixos salários e as discriminações salariais e a dificuldade no acesso à habitação própria.
Estes são apenas alguns dos aspectos que em muito contribuem para a instabilidade, a insegurança e as dificuldades na vida dos jovens.
Os deputados da CDU no Parlamento Europeu, tal como cá na Assembleia da República e nos órgãos do poder local, têm defendido o direito a uma educação pública, gratuita e de qualidade, intervieram contra o Processo de Bolonha e a privatização do ensino superior, rejeitaram a mercantilização da educação e do conhecimento, defenderam o direito à educação sexual nas escolas e o acesso ao planeamento familiar, defenderam o direito à prática desportiva, pois as políticas da União Europeia e os sucessivos governos nacionais têm condicionado o acesso à prática desportiva a amplas camadas da população.
Defenderam o ambiente, a salvaguarda dos recursos naturais, defenderam o sector energético e a água como um bem público e um direito.
Rejeitaram as políticas ambientais que se sujeitam aos interesses do capital.
Defenderam a paz, a cooperação e a solidariedade entre os povos.
E serão estes princípios e estas linhas de orientação e de acção que marcam e marcarão as três eleições que se aproximam.
Perante a situação actual que afecta milhares de jovens, este ano apresenta-se, exactamente pelo facto de termos três eleições, uma excelente oportunidade para mudar de rumo e de políticas.
Todos os jovens que estão preocupados e insatisfeitos com o rumo que Portugal e a Europa está a tomar, todos os que são afectados e prejudicados pelas políticas de direita e que reclamam por uma vida melhor, encontram na Juventude CDU a alternativa.
Todos os jovens portugueses têm a ganhar com o reforço da representação da CDU no Parlamento Europeu, tal como nos órgãos nacionais e locais.
Por isso, companheiros e amigos, este reforço é muito importante.
É comum pensar-se, principalmente entre os jovens, que as eleições para o Parlamento Europeu têm pouca influência sobre nós. Mas a verdade, como já vimos, é que grande parte das políticas implementadas cá e que vêm piorar a nossa qualidade de vida, são decididas na União Europeia, com o apoio dos deputados do PS, do PSD e do CDS-PP.
As eleições Europeias assumem uma grande importância pois votando decides quem queres que defenda os teus interesses no Parlamento Europeu.
Sem a CDU, a Europa e Portugal estão entregues a um processo que não salvaguarda a defesa do ambiente, dos interesses dos estudantes, dos trabalhadores, dos jovens, do povo e do país.
A Ecolojovem – “Os Verdes” quer continuar a contribuir para uma sociedade mais justa, mais digna, por um país ambientalmente sustentável, por uma Europa de solidariedade e por um mundo de paz.
Defendemos uma Europa que responda às necessidades dos jovens, uma Europa que tenha deputados que defendam os nossos direitos.
Defendemos uma Europa de inclusão, aberta e onde os direitos são iguais para todos.
Defendemos uma Europa mais social, com mais emprego, melhores salários, que garanta o acesso à saúde e à educação públicas, gratuitas e de qualidade, e que garanta o acesso a uma habitação digna.
Defendemos uma Europa onde os jovens participem mais, onde os processos de decisão sejam mais transparentes, participados e democráticos.
Defendemos uma Europa mais verde e ambientalmente mais sustentável onde o combate às alterações climáticas seja uma prioridade, uma Europa sem nuclear, que invista em fontes de energia renováveis e sustentáveis e onde os transportes colectivos, principalmente a ferrovia, sejam apoiados, defendendo a sua gestão pública, com preços socialmente justos e com a generalização do passe social.
Para reforçarmos o nosso projecto, cá em Portugal como na Europa, precisamos da intervenção e da participação de todos nós.
Por isso, já no próximo dia 7 de Junho vamos todos votar, já com o compromisso de levarmos esta luta, esta força, até às outras duas eleições.
E contando com todos vocês, termino fazendo um apelo a todos os que aqui estão para se juntarem a nós, na grande Marcha da CDU que se vai realizar no próximo dia 23 de Maio.É uma Marcha de confiança, de protesto e de luta! De uma nova política para uma vida melhor! Será uma afirmação da CDU e da Juventude CDU!Contamos com todos vocês, e contamos que tragam mais um amigo.
Por uma Europa para os jovens, por um Portugal para os jovens!
Viva a CDU!E viva a Juventude CDU!
Cláudia Madeira
Iniciativa Juventude CDU15/05/2009 - Largo Chiado

Iniciativa JCDU - 15 MAIO (18 HORAS) LISBOA, FRENTE À BRASILEIRA (CHIADO)

AMANHÃ, DIA 15 DE MAIO PELAS 18:30 NO CHIADO, LISBOA, FRENTE À BRASILEIRA - INICIATIVA DA JUVENTUDE CDU!!!

Esta iniciativa insere-se no âmbito das eleições para o Parlamento Europeu e conta com a presença de jovens candidatos da Ecolojovem-«Os Verdes», da JCP e Intervenção Democrática.

Programa:

18h30 - momento musical
19h - intervenção de Cláudia Madeira (Ecolojovem-«Os Verdes)
19h10 - intervenção de Carina Castro (Juventude Comunista Portuguesa)
19h20 - arruada até ao Rossio

JUNTA-TE A ESTA LUTA!

PARTICIPA!

Marcha da CDU - 23 de Maio

Dia 23 de Maio a CDU vai fazer em Lisboa uma grande marcha sob lema «Marcha – Protesto, Confiança e Luta! Nova política – Uma vida melhor» que será uma marcha de indignação contra a forma como o país está a ser espoliado e também de grande afirmação da CDU, dos Verdes e da Ecolojovem.

Contamos contigo!
Junta-te a nós e traz mais amigos!
Juntos faremos uma grande "mancha verde".
Vamos encontrar-nos na esquina do Saldanha com a Av. Casal Ribeiro, pelas 14.30h.

Se precisares de mais informações contacta-nos para:
Tel: 213960308/213960291
Email: ecolojovem@osverdes.pt ou osverdes@mail.telepac.pt
Site: www.osverdes.pt

Ecolojovem na Assembleia Geral da Federação dos Jovens Verdes Europeus

"A Ecolojovem – “Os Verdes”, representada por Cláudia Madeira e Júlio Sá, participou na Assembleia Geral da Federação dos Jovens Verdes Europeus - FYEG -, que decorreu na Holanda, na cidade de Maastricht, de 23 a 26 de Abril.
A FYEG foi fundada em 1988, na Bélgica, tendo sido a Ecolojovem – “Os Verdes” um dos seus membros fundadores, com o objectivo de reunir jovens Verdes de toda a Europa, de forma a promover e incentivar uma acção mais ecologista a nível europeu.
São organizados vários eventos ao longo do ano, como os acampamentos de Verão e de Inverno, diversas conferências e seminários, campanhas, grupos de trabalhos, entre outras acções.
Uma vez por ano, a FYEG realiza uma reunião formal, a Assembleia Geral, onde as Organizações Membro, através dos seus delegados, elegem o Comité Executivo e decidem sobre políticas e estratégias a adoptar, visando uma Europa mais Verde.
Este ano, cerca de cem jovens Verdes de toda Europa participaram nesta Assembleia onde foi eleito um novo Comité Executivo e se alargou a organização a seis novos Membros: Albânia, Arménia, Geórgia, Grécia, Eslováquia e Tirol do Sul.
Durante estes dias, foi também realizada uma Conferência, intercalada com a Assembleia Geral, que contou com a participação de alguns membros do Partido Verde Europeu e de muitos jovens. Esteve em discussão o passado, o presente e o futuro da Europa e os discursos abrangeram temas como os Tratados, as instituições europeias, a militarização, a juventude e a União Europeia e o papel desta face à actual situação de crise.
No final da Conferência realizou-se uma acção de rua, organizada pelos Verdes holandeses, onde se pedia às pessoas que assinassem uma petição, apoiando o projecto Verde para a Europa, o Novo Acordo Verde, que consiste num conjunto de propostas e soluções, apontando uma nova direcção para a Europa tanto a nível ambiental, como social e económico.
Ao longo dos tempos a Ecolojovem – “Os Verdes” tem marcado a sua presença nas Assembleias Gerais da FYEG por considerar que é um momento de grande interesse para definir posições e delinear estratégias e acções para alcançar a sociedade e a Europa que se defende.
Neste ano de eleições para o Parlamento Europeu, esta reunião revestiu-se de maior importância porque se debateu, precisamente, as eleições europeias, como cada organização está a preparar a campanha, o que se espera destas eleições e o que se pretende da União Europeia.
Aliás, os trabalhos iniciaram-se precisamente com debates sobre as eleições, que contaram com a participação de jovens candidatos ao Parlamento Europeu.
Um aspecto que esteve sempre presente foi a importância do envolvimento dos jovens neste processo de tomada de decisão.
Num outro momento da Assembleia Geral, foram apresentadas várias resoluções sobre temas como as drogas, a minoria Roma e as políticas europeias de juventude. Este último documento mais geral englobava várias áreas como a habitação, o emprego, a educação, a saúde e a mobilidade.
Na discussão e votação destes documentos políticos, a Ecolojovem propôs algumas alterações que considerou virem a enriquecer estas tomadas de posição por se aproximarem mais dos princípios e linhas de orientação dos jovens Verdes portugueses, e por se considerar ser o que mais se aproxima da Europa solidária, justa e sustentável que se defende e para a qual se trabalha.
Um outro ponto que marcou este encontro foi a apresentação da campanha comum para as eleições europeias que pode ser adoptada pelas diferentes organizações, dando-se a conhecer os materiais disponibilizados.
Este encontro de jovens verdes europeus ficou assinalado por ter possibilitado a convivência e intercâmbio de ideias e de experiências entre jovens de diferentes países e, acima de tudo, por ter permitido optar por decisões e posições que vão de encontro ao que a Ecolojovem – “Os Verdes” defende e para o qual trabalha diariamente pois só assim conseguiremos uma Europa mais equilibrada e sustentável e, só assim, os jovens conseguirão a qualidade de vida a que têm direito.
Foi igualmente possível conhecer diferentes perspectivas e concepções e tomar conhecimento de outras realidades.
Futuramente, pretendemos continuar a alargar a nossa participação e posição nas acções promovidas pela FYEG, com o objectivo de reforçar o projecto da Ecolojovem não só a nível nacional, como europeu. "

Artigo publicado na newsletter Contacto Verde

http://www.osverdes.pt/contactov.asp?edt=63

Princípios Fundamentais da Ecolojovem

A Ecolojovem – “Os Verdes” foi fundada em 1989 e assume-se, através dos seus objectivos, propostas e acções, como uma organização de juventude ecologista. Actuando com base no programa e nos objectivos do Partido Ecologista “Os Verdes”, a Ecolojovem – “Os Verdes” elabora as suas orientações tendo em conta as especificidades da juventude.
Os jovens ecologistas trabalham e lutam por uma sociedade ecológica, equilibrada, sustentável e justa onde é possível concretizar os direitos e as aspirações juvenis. Reconhecem a importância do trabalho colectivo e do contributo de cada um, ao lado de todos os outros.
Na Ecolojovem – “Os Verdes” está presente a acção comum e a solidariedade que unem a juventude contra a exploração, a opressão, o imperialismo, o racismo, a xenofobia, e qualquer tipo de discriminação, de modo a alcançar a preservação do meio ambiente natural e da biodiversidade, a paz, a autoridade dos povos e o progresso social.
O espírito de participação, de iniciativa, de afirmação e de responsabilidade individual e colectiva caracteriza os jovens ecologistas que recusam a passividade e o conformismo.
A Ecolojovem – “Os Verdes” é um espaço de diálogo, de reflexão, de acção insubmissa e de directa perante todas as formas de injustiça da acção humana, nomeadamente, a económica, a social e a cultural; assim a Ecolojovem – “Os Verdes” defende que a transformação da sociedade passa fundamentalmente, pela participação e intervenção dos jovens.
É uma juventude partidária que apresenta soluções e propostas possíveis de cumprir e de concretizar, em que os jovens têm o seu espaço e os seus direitos assegurados, apresentando-se com a preocupação, a dedicação e as medidas adequadas e procurando a resolução de problemas que afectam a qualidade de vida dos jovens.

A Ecolojovem – “Os Verdes”